Informações sobre hanseníase, causas, sintomas e tratamento da hanseníase, identificando práticas que possam contribuir para a sua cura.


O Agente etiológico da hanseníase

A Hanseníase é causada pelo Mycobacterium leprae, também denominado bacilo de Hansen, que apresenta tropismo principalmente por células cutâneas e nervosas periféricas.
Trata-se de uma micobactéria, com a forma de bastonete reto ou ligeiramente encurvado, identificada por Gerhardt Amauer Hansen em 1873. Atinge, principalmente, pele e nervos periféricos, mas pode atingir praticamente todos os órgãos e sistemas em que haja macrófagos, excetuando-se o sistema nervoso central.
Ao exame baciloscópico, os bacilos podem apresentar-se uniformemente corados (sólidos), irregularmente corados (fragmentados) ou granulosos. O aspecto irregular e granuloso parece indicar sofrimento bacilar, sendo observado em doentes em tratamento por ação medicamentosa.
Não cresce em meios de culturas artificiais, mas é inoculável em camundongo e em certos tatus, reproduzindo neles doença comparável à humana. Como não é possível cultivá-lo, não há como produzir, até o presente momento, vacinas especificas contra esta moléstia.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL