Informações sobre hanseníase, causas, sintomas e tratamento da hanseníase, identificando práticas que possam contribuir para a sua cura.


Como se faz o diagnóstico da hanseníase

Sendo a hanseníase, uma doença de evolução insidiosa e de grande potencial incapacitante, o diagnóstico precoce da hanseníase é de fundamental importância e deve ser o primeiro objetivo das ações de controle da Hanseníase (Brasil Ministério da Saúde, 1994, p.17).
A anamnese, o exame clínico cuidadoso das lesões cutâneas e a pesquisa da sensibilidade nervosa periférica permitem. quase sempre, o diagnóstico da Hanseníase. Toda superfície cutânea deve ser examinada. Entretanto, existem exames que podem ser usados como auxiliares no diagnóstico da hanseníase. Os mais usados são o exame baciloscópico e o exame histopatológico, que serão relatados a seguir. Convém citar, ainda, a existência dos testes da histamina e pilocarpina que, não sendo mais utilizados na rotina diagnóstica, não são especificados. O teste de Mitsuda era usado até recentemente, e auxiliava na classificação das formas clinicas da hanseníase.
Ressalta-se a superioridade do diagnóstico clinico, mediante exame dermato-neurológico, sobre os exames laboratoriais complementares (Brasil Ministério da Saúde, 1994).
Para Yamashita et al. (1996), o diagnóstico da Hanseníase baseia-se nos sinais clínicos e nos achados laboratoriais, porém, nenhum exame laboratorial atualmente utilizado pode ser considerado completo, capaz de diagnosticar e classificar a forma clinica da Hanseníase.
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL